A importância dos limites para crianças tão pequenas


As crianças de hoje, serão os adolescentes e adultos de amanhã, e se ouvirem as negativas pelas coisas corretas e nos momentos exatos, mesmo que cause incômodos e reações negativas como choros ou gritos, tais crianças crescerão com maior tolerância a frustração e maior força para lidar com as exigências da vida.

É muito importante que no momento de impor regras, que sejam claros, objetivos, senão a criança poderá ficar perdida, confusa, usem gestos, a fisionomia, se estão bravos então arquem a sombrancelha e mudem o tom de voz, por exemplo: não bata, isso dói. Para falar com a criança e repreendê-la, sempre abaixe-se na altura dela.

Algumas dicas de como colocar limtes:

  1. Quando o filho não respeitar as regras, é preciso colocá-lo para pensar e explicar o motivo de modo objetivo porque está ali pensando, seja autoridade ao explicar, mas não seja autoritário;

  2. Nunca batam, mãe gritando e batendo já perdeu o controle, não batam nem na mão e nem no bumbum, lembrem-se, vocês são modelos, se baterem eles acharão que poderão bater também;

  3. Critique os atos e não a criança, não diga que ele é mau, preguiçoso ou mentiroso, fale sobre a atitude, como por exemplo: não puxe o rabo do cachorro, isso dói, caso contrário os rótulos poderão fazer parte da criança;

  4. Papais, por mais cansados que estejam, educar uma criança é um longo e constante exercício de sinalizar "sim" ou "não" e muitos pais, depois de um dia exaustivo, relaxam na missão de colocar limites claros para os filhos, mas o dever de estabelecer o comportamento é importante desde o nascimento. Com um ano de idade aproximadamente a criança precisa aprender a ouvir a palavra “não” e os pais de pronunciá-la;

  5. Ajudem a criança a aprender diferenciar fantasia da realidade: Às vezes, pensamos que dizer “não” a um filho é um ato de desamor. A frustração e a noção de limite e de realidade são muito importantes para o desenvolvimento humano, lembre-se, ele vai crescer;

  6. Sejam claros ao se comunicarem com a criança, sim é sim e não é não, dizer não e logo após dizer sim porque mudaram de ideia, a criança não vai entender, e vai usar o que lhe for pertinente, sempre medindo forças e insistindo com os pais em situações futuras para que façam valer a sua vontade;

  7. Papai e mamãe precisam falar a mesma língua, então o pai não deve jamais desautorizar a mãe e vice-versa, se um discordar da atitude do outro, fique em silêncio e longe da criança discutam o assunto e a melhor forma de lidar;

  1. Lutem com o cansaço do dia a dia, os pais não devem ser vencidos pelo cansaço, estabelecer limites não é fácil, mas muito mais complicado é mantê-los. Ter de enfrentar o choro, resmungos, carinhas meigas, esperneio e até mesmo nosso próprio comodismo é muito mais difícil, mas vale muito a pena, pois os pais ou os cuidadores, são os grandes responsáveis pela adaptação da criança às regras sociais, quando a criança aprende que há regras em casa, fica mais fácil compreender que existem regras fora de casa, com os colegas, primos, na escola, e desse modo será mais fácil respeitá-las.

Nem sempre ouvimos sim, a criança conviverá com muitos nãos no decorrer da vida, não para acordar mais tarde, não para ficar o tempo todo no vídeo game, não para bater no irmão, aprendendo a dizer não ao filho quando for necessário, doerá menos ou não doerá nada quando ele ouvir um não da professora, dos amigos, quando perder no jogo Preparem seu filho para a vida, afinal, amar também é dar limites.

#criança #limites #pais

Destaque
Útimas Matérias